Buscar
  • Rodrigo Coraça

Fator de Potência e seus impactos na instalação Elétrica


Olá pessoal, vou começar esse post com uma pergunta: Vocês sabem realmente o que é o Fator de Potência de uma instalação elétrica? E quais os impactos que ele exerce? Vamos lá responder a esses questionamentos, mas antes precisamos entender alguns conceitos.

Em sua maioria as cargas das unidades consumidoras consomem energia reativa indutiva, essa energia é necessária para gerar o campo eletromagnético para seu funcionamento, entre essas cargas estão: motores, transformadores, fornos de indução, reatores de lâmpadas de descarga etc, elas necessitam de dois tipos de potência:


  • Potência Ativa: É a potência que efetivamente realiza trabalho gerando calor, luz, movimento etc. Sua unidade de medida é o KW.

  • Potência Reativa: É a potência usada apenas para gerar o campo eletromagnético das cargas indutivas. Sua unidade de medida é o KVAr.

Desta forma enquanto a potência ativa é consumida para realizar o trabalho, a potência reativa além de não produzir trabalho, circula entre a carga e a fonte de energia, ocupando espaço que poderia ser utilizado para fornecer mais energia ativa.

Por definição o Fator de Potência é a razão entre a potência ativa e a potência aparente, ele indica a eficiência do uso da energia. Um fator de potência alto indica alta eficiência, já um fator de potência baixo indica baixa eficiência.


CONSEQUÊNCIAS DE UM FATOR DE POTÊNCIA BAIXO


  1. Perdas na Instalação: As perdas ocorrem na forma de calor, conforme a corrente aumenta com o excesso de energia reativa é estabelecida uma relação entre o incremento das perdas com o baixo fator de potência, causado pelo aquecimento dos condutores e equipamentos.

  2. Quedas de Tensão: A medida que a corrente aumenta devido o excesso de energia reativa ocorrem as quedas de tensão acentuadas que podem ocasionar a sobrecarga nos elementos da rede e interrupção do fornecimento de energia elétrica.

  3. Subutilização da Capacidade Instalada: A instalação elétrica ao ser sobrecarregada pela energia reativa tem sua capacidade de utilização limitada, ou seja, o espaço ocupado pela energia reativa inviabiliza a instalação de novas cargas, vejamos abaixo na figura um exemplo da potência necessária do transformador para atender uma carga de 800KW para fatores de potência crescentes.



VANTAGENS DA CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA


Vamos dividir os benefícios da correção do FP em dois grupos para melhor exemplificar:


  1. Consumidor

  • Redução significativa do custo de energia elétrica;

  • Aumento da eficiência energética;

  • Melhoria da tensão;

  • Aumento da capacidade dos equipamentos de manobra;

  • Redução do efeito Joule;

  • Redução da corrente reativa na rede elétrica.

2. Concessionária


  • O bloco de potência reativa deixa de circular no sistema de transmissão e distribuição;

  • Evita perdas por efeito joule;

  • Aumenta a capacidade do sistema de transmissão e distribuição para conduzir o bloco de potência ativa;

  • Aumenta a capacidade de geração com intuito de atender mais consumidores;

  • Diminui os custos de geração.

Como pudemos ver nesse post, a fator de potência tem um grande peso para todos os integrantes do sistema elétrico, sejam eles geradores, transmissores, distribuidores ou consumidores finais, até mesmo nós como consumidores residenciais sofremos as influências deste fenômeno, por isso é de suma importância ficarmos atentos a nossa conta de energia para avaliarmos se estamos sendo penalizados por multas de baixo fator de potência para tomar as devidas precauções.

31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Siga-nos

Acompanhe a Smart Project pelas redes sociais.

© 2020 Smart Project Engenharia

  • Instagram
  • Facebook ícone social