Buscar
  • Rodrigo Coraça

Dispositivos de Proteção contra Surtos (DPS)

Atualizado: 16 de Dez de 2020

Fala galera! hoje eu vou trazer um assunto bem interessante, que é a proteção contra surtos, e que pouca gente costuma se atentar nas suas instalações elétricas.

Vamos aprender os requisitos mínimos para dimensionar corretamente um DPS para nossa instalação. Mas antes precisamos entender o que vem a ser esses surtos?

Surtos são perturbações elétricas de alta intensidade e curta duração, que podem ser causados por chaveamentos nas redes elétricas, descargas indiretas (raios que caem próximos às redes elétricas) e descargas diretas (raios que caem diretamente na rede elétrica). Outro conceito que precisamos ter em mente são os tipos de ondas que estes surtos causam, para melhor exemplificar vamos observar a figura abaixo, na imagem (a) temos a forma de onda 10/350 milissegundos, e na imagem (b) a forma de onda 8/20 milissegundos. Na primeira ela leva 10 milissegundos para atingir o pico de corrente e mais 350 milissegundos para chegar a 50% do seu valor, esta onda caracteriza uma descarga direta. Na segunda ela leva 8 milissegundos para atingir seu pico de corrente, e mais 20 milissegundos para chegar a 50% do seu valor, essa é uma onda característica de uma descarga indireta, ou os efeitos eletromagnéticos da descarga.


Agora que entendemos alguns conceitos dos surtos vamos para os Dispositivos que irão proteger nossas instalações e equipamentos contra eles.

A função do DPS é proporcionar um caminho de baixa impedância para que as correntes de surto sejam conduzidas para a terra e não danifiquem nossas instalações e equipamentos. ele deve ser instalado em paralelo com a alimentação, atuando normalmente como chave aberta, e ao detectar um surto ele fecha destinando parte desta corrente para a terra. Existem 3 classes de DPS, na figura abaixo podemos ver estas classes e tipo de aplicação:


Outra característica importante que deve ser observada no dimensionamento do DPS é a tensão máxima continua de operação (Uc). Ela é o valor máximo de tensão que pode ser aplicado aos terminais do DPS sem que ele atue indevidamente. Um exemplo, em locais onde a tensão fase neutro é de 127V devemos multiplicar essa tensão por um fator de segurança que é 1,1, onde teremos 139,7V, utilizaremos então o DPS de 175V, que é o valor comercial fabricado no Brasil.

Dentro destas 3 classes de DPS existem vários tipos com princípios de atuação distintos, por exemplo: diodos, varistores, centelhadores, de diversos fabricantes e preços variados. O importante é sempre contratar um profissional qualificado para dimensionar o melhor dispositivo para sua aplicação, para que sua instalação esteja realmente protegida.






65 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Siga-nos

Acompanhe a Smart Project pelas redes sociais.

© 2020 Smart Project Engenharia

  • Instagram
  • Facebook ícone social