Buscar
  • Rodrigo Coraça

Aplicações do Aterramento

Atualizado: 16 de Dez de 2020

Neste post vamos falar um pouco sobre as aplicações do aterramento, muitas pessoas acham que o aterramento serve apenas para o chuveiro não dar choque, ou que basta cravar uma barra no chão e ligar um cabo nela que está tudo certo, mas não é tão simples assim. Vamos começar com um breve histórico do aterramento.

O aterramento começou a ser utilizado na década de 1820 por conta do telégrafo que usava dois ou mais fios para fazer a comunicação e nesta época "Carl August Steinheil" descobriu que poderia usar a terra como retorno. Foi a partir dai que surgiu o uso do aterramento para uma atividade. Neste caso não se pensou em segurança mas sim na economia e funcionalidade. A partir dai surgiram muitas outras aplicações, e por este motivo é importante entender o porquê um aterramento pode ser diferente do outro.

Agora que conhecemos um pouco da história do aterramento vamos falar das suas aplicações:


ATERRAMENTO TEMPORÁRIO


Este tipo de aterramento é comumente utilizado para proteção de pessoas em atendimento a NR-10 e a NBR-5419, são instalados em estruturas temporárias como por exemplo, parques, shows, canteiros de obras. Também é muito utilizado nos trabalhos em redes elétricas, onde existem equipes trabalhando é aterrado o trecho de rede antes e depois, ficando os trabalhadores protegidos contra energizações acidentais ou descargas na rede. Abaixo exemplos de estruturas temporárias e de aterramento de redes elétricas.





ATERRAMENTO FUNCIONAL


O aterramento funcional visa o bom funcionamento dos circuitos de sinal e a compatibilidade eletromagnética. Um exemplo deste tipo de aterramento é o aterramento do padrão de entrada, onde o neutro deve ser solidamente aterrado para garantir um nível 0 de tensão nele mesmo. Pode ser criado um anel interno ao perímetro da edificação ou malha para interligação de todos os equipamentos eletrônicos, este aterramento é recomendado para circuitos que operem acima de 10MHz. Também pode ser feito um aterramento do ponto único para um determinado equipamento, este sistema é recomendado para circuitos que trabalham até 10MHz. Abaixo exemplos de aterramento funcional em malha e ponto único.





ATERRAMENTO PARA PROTEÇÃO CONTRA SURTOS


Antes de falar do aterramento vamos entender o que é o SURTO?

Surtos são picos de tensão de curta duração (menos de 1 milissegundo) que podem ocorrer por descargas atmosféricas que caem nas linhas, nas estruturas ou próximos delas, onde parte da energia do raio é transferida para a instalação.

Para proteger as pessoas e os equipamentos são necessários adotar medidas como PDA que é a Proteção contra Descargas Atmosféricas, que tem a função de proteger as pessoas contra as descargas criando zonas de proteção ao redor da edificação, e MPS que são Medidas de Proteção contra Surtos que tem o objetivo de proteger os equipamentos. Ambos os sistemas tem a função de dispersas as correntes das descargas para a terra (aterramento). Abaixo uma imagem das zonas de proteção criadas a partir da adoção das medidas de PDA e MPS.


CONCLUSÃO


O sistema de aterramento é um importante meio de garantir a segurança das pessoas e das instalações, devendo ser observados os requisitos das normas NBR 5410, NBR 5419 e NR 10, bem como a finalidade específica para o qual o sistema deve ser projetado.

81 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Siga-nos

Acompanhe a Smart Project pelas redes sociais.

© 2020 Smart Project Engenharia

  • Instagram
  • Facebook ícone social